ESCOLHA O IDIOMA:

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 1

Pense de imediato em um cenário familiar em que o pai de uma criança é canadense e a mãe brasileira. Naturalmente, por motivos óbvios de construção de laços de afinidade e ternura com a criança, cada adulto neste casal de pais irá utilizar sua língua nativa ao se comunicar diretamente com seu filho ou sua filha. Os três podem até vir a utilizar uma única língua ao se comunicarem ao mesmo tempo, no entanto, em virtude da afetividade inerente à sua língua materna, cada responsável irá usar sua língua nativa ao falar com a criança, sem utilizar portanto do artifício da tradução para tal objetivo.

   Sem dúvida alguma, a criança estará apta e preparada a lidar com situações diárias em que ela terá de automaticamente “ligar e desligar a chave” de um ou de outro idioma em suas conexões cerebrais. Ou seja, aprender uma nova língua não nos leva obrigatoriamente à utilização inapropriada do recurso da tradução para que o aprendizado seja facilitado e, consequentemente, eficaz.

Tal fato vem a ser um dos grande diferenciais das aulas do BRASAS, pois desde o primeiro dia de aula, mesmo nos níveis mais básicos de ensino, nossos alunos são somente expostos à língua inglesa dentro de sala de aula. Esse procedimento é feito de forma natural, tendo em vista que o nosso material didático foi todo programado para atender as necessidades específicas dos alunos brasileiros aprendendo inglês.

Somada à utilização de um material didático próprio, nossos qualificados professores são treinados até a perfeição para usarem estratégias pedagógicas de ensino eficazes, somente em inglês, para que a assimilação do conteúdo ministrado seja feita da forma mais tranquila possível.

Vamos dar agora um exemplo prático do problema encontrado ao traduzir tudo ao pé da letra. Consideremos a palavra “bow” na língua inglesa. Aquela pessoa que está acostumada a traduzir palavras e a decorar somente um determinado significado para elas, com certeza poderá encontrar algumas situações de dificuldade para compreender o sentido da palavra “bow” em contextos específicos.

A palavra “bow” apresentando-se na sua forma de substantivo (com a pronúncia /bou/), dependendo do contexto o qual ela está sendo utilizada, poderá possuir significados distintos na língua portuguesa conforme ilustrado abaixo:

  1. Laço feito com fita

Example: My dad tied a red ribbon around my mom’s gift in a pretty bow.

2. Arco (usado com flechas)

Example: Hunting with a bow and arrows was common for a Native Indian.

3. Objeto musical utilizado para tocar instrumentos de cordas como violino

Example: Those violins are played with imported bows.

4. Gravata Borboleta (Bow Tie)

Example: A bow tie is usually worn by men on formal occasions.

5. A parte da frente de um navio (proa)

Example: The bow of the ship was slammed by a huge torpedo.

  1. Artista agradecendo ao público ao término de um espetáculo ou cumprimento respeitoso entre pessoas (to take a bow) (to bow)

 

Examples: The actor took a bow as soon as the curtains started closing.

All the people in the room had to bow to the Emperor of Japan.

Importante: no exemplo 6 a pronúncia da palavra “bow” fica um pouco   modificada, tanto na forma substantiva como no formato de verbo, pois ao invés de falarmos /bou/, neste caso falaremos /bau/.

“Bow” também pode ser entendido como algo em um formato dobrado em uma curva simples ou em um arco geométrico, como o desenho de um arco-íris por exemplo no céu, sendo portanto “rainbow” a tradução de arco-íris em inglês, pois o arco foi provocado no céu pela chuva (“rain” em inglês).

Example: That rainbow is so beautiful in the sky today.

Você deve estar se perguntando: “É possível mesmo aprender todo esse vocabulário?” É claro que é! O segredo para o sucesso é não se agarrar em traduções desnecessárias e focar sempre no contexto em que a palavra está sendo empregada. Imaginemos uma pessoa americana, por exemplo, aprendendo a língua portuguesa. Ela terá de distinguir os contextos em que a palavra “manga” está sendo utilizada na conversa em que ela poderá estar inserida. Trata-se da deliciosa fruta carnosa ou da parte lateral que cobre os braços da camisa de uma pessoa?

Está vendo? A aquisição de vocabulário é um processo pedagógico importante para uma pessoa aprender qualquer idioma. Portanto, não traduza, estude bastante, fique atento aos contextos em que as palavras estão envolvidas e se comunique com o mundo, pois a língua inglesa abrirá as portas do mesmo para você.

Escrito por Guilherme Leal (Bill), diretor acadêmico do BRASAS.

Pense de imediato em um cenário familiar em que o pai de uma criança é canadense e a mãe brasileira. Naturalmente, por motivos óbvios de construção de laços de afinidade e ternura com a criança, cada adulto neste casal de pais irá utilizar sua língua nativa ao se comunicar diretamente com seu filho ou sua filha. Os três podem até vir a utilizar uma única língua ao se comunicarem ao mesmo tempo, no entanto, em virtude da afetividade inerente à sua língua materna, cada responsável irá usar sua língua nativa ao falar com a criança, sem utilizar portanto do artifício da tradução para tal objetivo.

   Sem dúvida alguma, a criança estará apta e preparada a lidar com situações diárias em que ela terá de automaticamente “ligar e desligar a chave” de um ou de outro idioma em suas conexões cerebrais. Ou seja, aprender uma nova língua não nos leva obrigatoriamente à utilização inapropriada do recurso da tradução para que o aprendizado seja facilitado e, consequentemente, eficaz.

Tal fato vem a ser um dos grande diferenciais das aulas do BRASAS, pois desde o primeiro dia de aula, mesmo nos níveis mais básicos de ensino, nossos alunos são somente expostos à língua inglesa dentro de sala de aula. Esse procedimento é feito de forma natural, tendo em vista que o nosso material didático foi todo programado para atender as necessidades específicas dos alunos brasileiros aprendendo inglês.

Somada à utilização de um material didático próprio, nossos qualificados professores são treinados até a perfeição para usarem estratégias pedagógicas de ensino eficazes, somente em inglês, para que a assimilação do conteúdo ministrado seja feita da forma mais tranquila possível.

Vamos dar agora um exemplo prático do problema encontrado ao traduzir tudo ao pé da letra. Consideremos a palavra “bow” na língua inglesa. Aquela pessoa que está acostumada a traduzir palavras e a decorar somente um determinado significado para elas, com certeza poderá encontrar algumas situações de dificuldade para compreender o sentido da palavra “bow” em contextos específicos.

A palavra “bow” apresentando-se na sua forma de substantivo (com a pronúncia /bou/), dependendo do contexto o qual ela está sendo utilizada, poderá possuir significados distintos na língua portuguesa conforme ilustrado abaixo:

  1. Laço feito com fita

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 2

Example: My dad tied a red ribbon around my mom’s gift in a pretty bow.

2. Arco (usado com flechas)

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 3

Example: Hunting with a bow and arrows was common for a Native Indian.

3. Objeto musical utilizado para tocar instrumentos de cordas como violino

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 4

Example: Those violins are played with imported bows.

4. Gravata Borboleta (Bow Tie)

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 5

Example: A bow tie is usually worn by men on formal occasions.

5. A parte da frente de um navio (proa)

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 6

Example: The bow of the ship was slammed by a huge torpedo.

  1. Artista agradecendo ao público ao término de um espetáculo ou cumprimento respeitoso entre pessoas (to take a bow) (to bow)

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 7

 

Examples: The actor took a bow as soon as the curtains started closing.

All the people in the room had to bow to the Emperor of Japan.

Importante: no exemplo 6 a pronúncia da palavra “bow” fica um pouco   modificada, tanto na forma substantiva como no formato de verbo, pois ao invés de falarmos /bou/, neste caso falaremos /bau/.

“Bow” também pode ser entendido como algo em um formato dobrado em uma curva simples ou em um arco geométrico, como o desenho de um arco-íris por exemplo no céu, sendo portanto “rainbow” a tradução de arco-íris em inglês, pois o arco foi provocado no céu pela chuva (“rain” em inglês).

TRADUZIR? POR QUÊ? NEM PENSAR! 8

Example: That rainbow is so beautiful in the sky today.

Você deve estar se perguntando: “É possível mesmo aprender todo esse vocabulário?” É claro que é! O segredo para o sucesso é não se agarrar em traduções desnecessárias e focar sempre no contexto em que a palavra está sendo empregada. Imaginemos uma pessoa americana, por exemplo, aprendendo a língua portuguesa. Ela terá de distinguir os contextos em que a palavra “manga” está sendo utilizada na conversa em que ela poderá estar inserida. Trata-se da deliciosa fruta carnosa ou da parte lateral que cobre os braços da camisa de uma pessoa?

Está vendo? A aquisição de vocabulário é um processo pedagógico importante para uma pessoa aprender qualquer idioma. Portanto, não traduza, estude bastante, fique atento aos contextos em que as palavras estão envolvidas e se comunique com o mundo, pois a língua inglesa abrirá as portas do mesmo para você.

Escrito por Guilherme Leal (Bill), diretor acadêmico do BRASAS.

avatar
  Subscribe  
Notify of