ESCOLHA O IDIOMA:

1

André Andrade, mais conhecido por todos como Andrew,  começou sua história no BRASAS como aluno. De lá pra cá,  já foi teacher, gerente de projetos, gerente do BRASAS Online e, atualmente, é diretor de TI. Hoje, ele conta sobre os desafios enfrentados pela nossa área de tecnologia durante a pandemia da Covid-19.

 

COMO A PANDEMIA IMPACTOU O TI BRASAS?

 

Foi um período desafiador para a empresa. Todo o processo foi concretizado em tempo recorde e quase imediato. Foi preciso, em menos de 1 semana, pôr em prática as aulas ao vivo online, configurar as plataformas digitais e disponibilizá-las para todas as unidades do Brasil, bem como orientar e prestar suporte aos professores e alunos para essa e outras mudanças do presencial para o EAD. 

 

Importante ressaltar que o desafio acabou sendo maior porque a enorme maioria dos estudantes e docentes não tinham login, senha, ou experiência prévia de acesso ao ambiente virtual do BRASAS. Foi algo ousado e inovador para nós, pois os professores aprenderam a usar toda essa tecnologia rapidamente e, com isso,  conseguimos adaptar e migrar a metodologia do presencial para o EAD com sucesso e altíssimo grau de satisfação dos alunos.

 

QUAL FOI O PULO DO GATO DE NESSE PROCESSO?

 

Fazer a migração do presencial para o online com ferramentas que já conhecíamos e utilizávamos corporativamente. Buscou-se fazer o simples da melhor forma possível, e não querer buscar alguma solução mirabolante.

 

Cabe ainda destacar a importância da equipe de tecnologia, que se dedicou 24/7 para implementar toda a estrutura, treinar professores, e dar suporte aos alunos, bem como o empenho dos professores em aprender o novo processo e rapidamente adaptarem às aulas presenciais para o formato online.

 

O QUE FOI SUPERADO PARA O BRASAS CONSEGUIR LEVAR A SUA METODOLOGIA PARA O ONLINE?

 

Crises, como guerras e pandemias, trazem como consequência a aceleração de modificações na sociedade que, em tempos de paz, são sempre lentas e cautelosas. 

 

Um novo remédio, por exemplo, exige meses de teste para poder entrar no mercado. Na pandemia, essa cautela é mitigada. O Brasil discute há anos a educação à distância, e aí, em trinta dias, ela é implementada com força total.

 

No BRASAS não foi diferente – ou nos adaptávamos rapidamente ou estaríamos fadados à extinção. 

 

E QUAIS OS PLANOS PARA O FUTURO?

 

O processo de modernização tecnológica é algo bastante relevante e uma constante preocupação do BRASAS. Nosso próximo desafio é aperfeiçoar os processos e sistemas com integrações entre sistemas diferentes e automatização de tarefas rotineiras repetitivas.

Isso trará um impacto positivo não só para nossos alunos, que terão uma experiência melhor no uso de ferramentas e aprendizado como também para a equipe de colaboradores BRASAS, que deixará de realizar algumas tarefas robóticas e ficará com tempo livre para pensar soluções e projetos inovadores.

 

André Andrade, mais conhecido por todos como Andrew,  começou sua história no BRASAS como aluno. De lá pra cá,  já foi teacher, gerente de projetos, gerente do BRASAS Online e, atualmente, é diretor de TI. Hoje, ele conta sobre os desafios enfrentados pela nossa área de tecnologia durante a pandemia da Covid-19.

 

COMO A PANDEMIA IMPACTOU O TI BRASAS?

 

Foi um período desafiador para a empresa. Todo o processo foi concretizado em tempo recorde e quase imediato. Foi preciso, em menos de 1 semana, pôr em prática as aulas ao vivo online, configurar as plataformas digitais e disponibilizá-las para todas as unidades do Brasil, bem como orientar e prestar suporte aos professores e alunos para essa e outras mudanças do presencial para o EAD. 

 

Importante ressaltar que o desafio acabou sendo maior porque a enorme maioria dos estudantes e docentes não tinham login, senha, ou experiência prévia de acesso ao ambiente virtual do BRASAS. Foi algo ousado e inovador para nós, pois os professores aprenderam a usar toda essa tecnologia rapidamente e, com isso,  conseguimos adaptar e migrar a metodologia do presencial para o EAD com sucesso e altíssimo grau de satisfação dos alunos.

 

QUAL FOI O PULO DO GATO DE NESSE PROCESSO?

 

Fazer a migração do presencial para o online com ferramentas que já conhecíamos e utilizávamos corporativamente. Buscou-se fazer o simples da melhor forma possível, e não querer buscar alguma solução mirabolante.

 

Cabe ainda destacar a importância da equipe de tecnologia, que se dedicou 24/7 para implementar toda a estrutura, treinar professores, e dar suporte aos alunos, bem como o empenho dos professores em aprender o novo processo e rapidamente adaptarem às aulas presenciais para o formato online.

 

O QUE FOI SUPERADO PARA O BRASAS CONSEGUIR LEVAR A SUA METODOLOGIA PARA O ONLINE?

 

Crises, como guerras e pandemias, trazem como consequência a aceleração de modificações na sociedade que, em tempos de paz, são sempre lentas e cautelosas. 

 

Um novo remédio, por exemplo, exige meses de teste para poder entrar no mercado. Na pandemia, essa cautela é mitigada. O Brasil discute há anos a educação à distância, e aí, em trinta dias, ela é implementada com força total.

 

No BRASAS não foi diferente – ou nos adaptávamos rapidamente ou estaríamos fadados à extinção. 

 

E QUAIS OS PLANOS PARA O FUTURO?

 

O processo de modernização tecnológica é algo bastante relevante e uma constante preocupação do BRASAS. Nosso próximo desafio é aperfeiçoar os processos e sistemas com integrações entre sistemas diferentes e automatização de tarefas rotineiras repetitivas.

Isso trará um impacto positivo não só para nossos alunos, que terão uma experiência melhor no uso de ferramentas e aprendizado como também para a equipe de colaboradores BRASAS, que deixará de realizar algumas tarefas robóticas e ficará com tempo livre para pensar soluções e projetos inovadores.

 

avatar
  Subscribe  
Notify of